História das cidades do Seridó potiguar: História de Currais Novos / RN

História de Currais Novos / RN



"OS NOVOS CURRAIS DE SEU CIPRIANO"

A presença do homem branco na área aconteceu em março de 1988, quando o Governador Geral do Brasil mandou uma expedição à região com a finalidade de reprimir a revolta dos índios Canindés e Janduís, primeiros habitantes da região, iniciada no ano anterior, que o Governo da Capitania do Rio Grande do Norte não conseguiu debelar. A expedição, comandada pelo paulista Governador de Armas Domingos Jorge Velho, atravessou o sertão do Acauã e alcançou a localidade onde nasceu a povoação de Currais Novos.

No Livro Nomes da Terra, o historiador Câmara Cascudo afirma que, no ano de 1687, Afonso de Albuquerque Maranhão tinha conseguido derrotar e fazer prisioneiro o chefe dos Canindés. Com o final dos combates, já no século XVII, muitos combatentes, capitães e soldados, passaram a ser lavradores, em sua maioria sem possuírem terras.

Apenas em 1755 o povoamento começou a dar sinais de desenvolvimento com a presença do Coronel Cipriano Lopes Galvão, que fundou uma fazenda de gado na Data Tororó. Como pioneiro da localidade, Cipriano Lopes também exerceu indireta influência histórica na escolha do nome do povoado, quando construindo novos currais nas proximidades da confluência dos Rios Tororó e Maxinaré, iniciando os trabalhos de uma outra fazenda para seu filho Sebastião Galvão,. Tempos depois, a designação da localidade passou naturalmente a ser Currais Novos.

Com o falecimento do Coronel Cipriano Lopes, a viúva, dona Adriana de Holanda Vasconcelos Galvão, requereu em 1764, novas concessões de terra, e seu filho Cipriano Galvão, então Capitão-Mor da ribeira do Seridó e proprietário dos Sítios Areia de Baixo e São Bento, requereu e recebeu, em 1787, terras próximas a pertencente a sua mãe. No ano de 1808, foi construída a capela em honra a Nossa Senhora Santana, começo da atual cidade.

O povoado de Currais Novos participou ativamente da campanha abolicionista, com a ação efetiva de um dos núcleos da Sociedade Libertadora Norte-rio-grandense, tendo à frente Cipriano Lopes Galvão de Vasconcelos e Joventino da Silveira Borges. A luta abolicionista, que durou vários anos e contou com a participção de muitos, deu resultados: Currais Novos libertou seu último escravo no dia 19 de março de 1888, antes da promulgação da Lei Áurea.

A Lei Provincial n° 893, de 20 de fevereiro de 1884, criou o distrito de Currais Novos. Em 15 de outubro de 1890, seis anos depois, através de Decreto n 59, que foi assinado pelo então Governador Provisório, o Dr. Pedro Velho de Albuquerque Maranhão, Currais novos desmembrou-se de Acari, e passou a ser município do Rio Grande do Norte, sendo instalado em 6 de fevereiro de 1891. O novo município elevou-se à categoria de cidade pela Lei n° 486 de 29 de novembro de 1920, já sendo sede de comarca desde 27 de novembro de 1919.

Grandes reservas de shellita, minério valioso, foram descobertas na década de 1940, produzindo uma exploração em larga escala e iniciando o processo de imigração de garimpeiros e comerciantes. Nesse período, destacou-se a figura histórica de Tomaz Salustino que, com seu espírito empreendedor, contribuiu ativamente para o progresso de Currais Novos. Com o advento da shellita a cidade cresceu, sua economia ampliou-se, e a população aumentou substancialmente devido à chegada de pessoas que buscavam trabalho e negócios.

O município de Currais Novos está encravado na Região do Seridó, a 180 quilômetros de distância de distância da capital, com uma área de 883,3 quilômetros quadrados.

MAPA DA REGIÃO DO SERIDÓ - CURRAIS NOVOS / RN
Clique no mapa para ampliar imagem. (1117 x 827)

Mapa da Região do Seridó - Município de Currais Novos / RN

História de Currais Novos / RN
Mapa: OpenBrasil.org
Fonte: Livro Terras potiguares - Marcus César Cavalcanti de Morais.
Foto: A/D - OpenBrasil.org

História das cidades do Seridó potiguar - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página